top of page

Comerciantes aderem ao uso da internet para impulsionar vendas do Dia dos Pais


Uso das redes sociais já desbanca a propaganda como ação de marketing

A expectativa de vendas para o Dia dos Pais deste ano é positiva para a maioria dos comerciantes de Minas Gerais, conforme pesquisa realizada pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisa da Fecomércio MG. Mais de 65% dos entrevistados consideram que a data estimula o negócio.


O Dia dos Pais de 2023 chega com mudanças para os lojistas. Eles admitem que a data deste ano tende a ter um apelo afetivo menor do que nos anos marcados pelas restrições da pandemia (2020, 2021 e 2022). Mesmo assim, 55,2% de 65,8% que admitem que a data afeta seu negócio avaliam que as vendas vão ser melhores do que as do ano passado.

O aumento crescente das vendas nos últimos trimestres, que o varejista contabiliza, assim como o otimismo do comerciante, é que dão o tom positivo para a primeira data comercial do segundo semestre de 2023.


Ainda como reflexo direto da pandemia que incentivou os contatos pela internet, os varejistas estão apostando como nunca nas redes sociais para estimular as vendas.

O mundo virtual já desbanca a propaganda nas ações comerciais previstas para o Dia dos Pais. Depois das promoções, que serão postas em prática por 44%, 20,1% utilizarão as redes sociais para estimular as vendas, enquanto a propaganda será empregada por 19% dos varejistas.


As vendas online representam até 10% do total do faturamento de 41,6% das empresas. Para 23,0%, o faturamento varia de 10,1% a 25,0%. As redes mais utilizadas para vendas, conforme a pesquisa, são o aplicativo WhatsApp seguido do Instagram.


Olhar Econômico Dia dos Pais, por Stefan D’Amato, economista-chefe da Fecomércio MG

Neste ano, os empresários do varejo têm expectativas menores em comparação ao ano anterior. A redução está relacionada ao aumento do endividamento das famílias e ao impacto residual da inflação, que foi observada durante a maior parte do primeiro semestre. Esses efeitos tornam os consumidores mais cautelosos em contrair novas dívidas ou gastar além do essencial.


No entanto, é importante destacar que o ano de 2022 foi atípico devido ao estímulo de renda proporcionado por políticas como o Renda Brasil. Ademais, o crescimento do ano passado pode estar relacionado ao entusiasmo dos consumidores e ao valor emocional da data após o período de isolamento social causado pela pandemia de COVID-19.


A maioria dos empresários (55,2%) que acredita que as vendas serão melhores neste ano mencionou os seguintes motivos: aumento do volume de vendas nos últimos meses (33,1%), otimismo (25,7%), valor emocional da data (18,2%) e fim da pandemia (14,9%). É importante ressaltar que o valor emocional é especialmente importante para os negócios voltados para o público masculino, mas neste ano ficou em terceiro lugar em comparação com o ano passado. A expectativa de aumento nas vendas (61,5%) segue a tendência do ano passado, com a maioria esperando um aumento de 25%.


Os empresários que esperam uma piora nas vendas (15,7%) sugerem que o efeito da crise econômica persistirá ou que as projeções de mercado não serão cumpridas. Portanto, esses empresários permanecem precavidos em relação à situação econômica do país. Isso se deve ao aumento da cautela dos consumidores, que desestimula o consumo devido ao alto endividamento das famílias, apesar do programa Desenrola do Governo Federal para ajudar os cidadãos com suas dívidas.


A pesquisa constatou a importância das redes sociais (20,1%) para os empresários, pois reduzem os custos com marketing, promoções e propagandas, além de alcançar um maior número de clientes ou expandir a carteira de clientes. Além disso, o uso das redes sociais tem se tornado cada vez mais comum entre os clientes, devido à facilidade e conveniência. No entanto, as promoções e propagandas ainda são estratégias eficazes de vendas.

A maioria dos empresários (82,8%) planeja investir em novos produtos para seus estoques. Os principais produtos encontrados nas lojas serão kits/cestas (37,0%), roupas (32,6%) e bebidas (19,6%). A liderança dos kits e cestas reforça a estratégia de promoções para tornar os produtos mais atraentes para presentear os pais.


As expectativas de compras, de acordo com os comerciantes, serão realizadas na semana que antecede a data. Por outro lado, a maioria dos clientes com maior poder aquisitivo deve adquirir seus presentes com antecedência, o que pode indicar um aumento nas compras online, que geralmente exigem alguns dias para a entrega do produto.

Os empresários, cientes do endividamento das famílias, apontam que as vendas serão realizadas principalmente por meio de cartão de crédito, parcelado ou à vista, totalizando 62,7% das formas de pagamento. A faixa de preço médio dos produtos será de R$70,00 a R$200,00, representando cerca de 47,4% das vendas. O ticket médio dos produtos será de aproximadamente R$151,00.


As vendas online continuam crescendo e representarão até 25% das vendas neste ano, de acordo com 55,6% dos empresários em todo o estado de Minas Gerais. A maior proporção esperada será de 10%, para cerca de 41,6% dos entrevistados.


O WhatsApp e o Instagram serão as principais plataformas impulsionadoras dessas vendas. O WhatsApp (92,5%) é mais utilizado pelos vendedores devido à acessibilidade e dinamismo nas vendas, enquanto o Instagram (52,3%) é usado como uma vitrine virtual de forma mais abrangente pela empresa. Os demais canais de venda sugeridos foram: site próprio (15,0%), aplicativos de entrega (5,6%), Facebook (3,7%), e seguido pelos marketplaces (3,7%).



15 visualizações0 comentário
bottom of page